Páginas

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Cães abandonados





Eu estava na Taquara comprando umas ervas frescas, deslumbrado com o comercio local, quando de repente olho para o chão e sou chamado por um senhor de rua, cujas pernas estavam todas sustentadas por ferros.
Eu sou a pessoa mais distraída do mundo, saio na rua falando sozinho, rindo dos meus pensamentos e viajando nas minhas ideias, mas aquele senhor me fez parar e prestar a atenção.
Ele me pediu dinheiro, como previsto, só que eu já tinha gasto todo o meu dinheiro físico, olhei no fundo dos olhos dele e pedi mil desculpas fazendo uma promessa de que quando eu voltasse eu daria uma nota alta pra ele. Até brinquei dizendo que não estava fácil pra ninguém.
De um ar melancólico, ele começou a sorrir e me disse:
- Você acabou de me dar algo muito melhor do que o dinheiro, você me deu atenção e não me tratou feito um cachorro como todas as pessoas fazem. A sua preocupação, o seu carinho, valhem mais do que todo o dinheiro desse mundo, menino.
Preciso dizer que chorei rios amazonas? me agachei e dei um abraço nele, sem me importar com o olhar de desprezo das pessoas em nossa volta e susurrei no ouvido dele:
- Cães abandonados são essas pessoas que fingem não te ver, sofreram tanto na vida que aos invés de forte, se tornaram orgulhosas, e com isso esqueceram o que é o amor.
Levantei e saí correndo, como sempre, porque meu bus estava saindo sem poder me despedir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário